A Clínica psicanalítica lacaniana e a linguagem

150 visualizações · Data publicação 10/01/2022

As relações da Psicanálise com a linguagem sempre foram enfatizadas por Lacan, ao longo de diversos momentos de seu ensino, desde os instantes iniciais de sua transmissão (anos 1950) até o momento mais tardio (final dos anos 1970). Estas relações são multifacetadas, mas têm como elemento central a Linguística Estrutural estabelecida ao início do século XX pelo linguista suíço Ferdinand de Saussure e, junto a isto, a noção de Primazia do Significante. Ao ver de Lacan, o passo inaugural estabelecido por Freud, ao fundar a Psicanálise por meio do conceito de Inconsciente (e suas amplas consequências clínicas), pode ser melhor localizado ao reconhecermos a íntima relação entre este campo e a linguagem. É por esta via que dois aspectos cruciais à Clínica Lacaniana se colocam: o “retorno a Freud” e a tese do “Inconsciente estruturado como uma linguagem”. A justa e constante localização destes dois pontos de partida são imprescindíveis para localizarmos com clareza o que vem a ser o ofício do psicanalista.